El Marronzito

Everbody mama mia

8 Comentários

Passar trote a dois é bem mais bacana

O ano era 2006. Esse auê de fim do mundo não existia e meus amigos me zoavam porque o Corinthians não tinha sequer uma Libertadores. Eu era estudante de Jornalismo da PUCC e tinha uma missão: escrever uma história/perfil de qualquer pessoa tendo por base o Jornalismo Literário. A chefa que me incubiu do trabalho foi Márcia Fantinatti, minha mestra, professora e eterna esposa de mentirinha (com quem hei de me casar um dia se o mundo não acabar).

Mais perdido que um fã de heavy metal no show do Mr. Catra na favela da Rocinha, acabei procurando uma colega de trabalho para me ajudar. Italiana de nascença, Elisa Raimondi falou que seus pais, também nascidos na terra da pizza, tinham uma história de vida fantástica. Fui até eles, os ouvi, me apaixonei por aquele jeitão italiano, escrevi o perfil do casal Raimondi e tirei nota dez no trampo.

O tempo passou, eu deixei de tirar nota dez em tudo, passei a fazer mais foto do que texto, mas eu nunca esqueci o jeito bacana e hospitalidade do Seu Giuseppe e da Dona Anna Raimondi. Geralmente, tardes bacanas com pessoas idem sempre ficam guardadas na nossa memória. Todo repórter adora uma história bacana.

Hoje, após todo esse tempo, os reencontrei em uma data especial. Foi dia de fotografar o casamento de um dos seus filhos. O bambino Ângelo (leia-se com aquele sotaque italiano) foi o noivo da vez. Sua senhora é a divertida e simpática Cíntia Gianini.

Sim, foi um casamento tipicamente italiano e com todos aqueles trejeitos do povo que fala com as mãos. E sim, foi uma tarde bacana com gente idem, e que ficará guardada na minha mente e na cabeça loira da minha querida assistente, Priscila Rodrigues.

A bela Capela São Sebastião

A cerimônia aconteceu na Capela São Sebastião, uma linda igreja construída em 1883 e tombada no começo dessa década que vivemos (se você acha que a igreja caiu e mesmo assim as fotos foram feitas lá, aconselho que vá ler sobre história da arte). Pequenina e antiga, mas extremamente bem conservada, a capela, localizada no Distrito de Sousas, Campinas,  é fantástica em todos os sentidos.

Se um dia eu for casar, farei o máximo para que meu casamento ocorra lá (só cabem 50 pessoas no recinto, portanto podem começar a parcelar o meu fogão de 4 bocas).

Os noivos, como já andei falando nas comunidades sociais, sem dúvida formam um dos casais mais animados que já fotografei na minha vida. Mais do que felizes, eles demonstram aquela sincronia de duas pessoas que realmente se encaixam (se você pensou sacanagem, suma do meu blog e vá ler aquele lixo de “50 tons de Cinza”, seu tarado).

Demorou, mas chegou

Além da beleza da igreja, também rolou um mini-ensaio nas redondezas. Para nossa alegria, sempre há personagens engraçados que compõe a nossa história. Dentre eles destacamos:

O mendigo boa praça da praça: bêbaço, o cidadão acompanhou o casal durante o ensaio, teve seu momento de guarda de trânsito (ao pedir que os carros parassem para que a noiva atravessasse a rua) e ainda disse que se lhe déssemos um qualquer, ele garantiria a nossa paz. Não dava para entender nada que ele falava, mas espero que ele fique bem.

Stop, in the name of love…

A curiosa da ponte das pilhas perdidas: enquanto fotografávamos em uma ponte, uma transeunte interrompeu a seção fotográfica. Ela chegou de mansinho, olhou para o casal e, sem muita cerimônia, perguntou se eles eram noivos.  A sorte é que noivos tolerância zero são raros.

“Não. Somos inimigos mortais e estamos pagando uma aposta após perdemos no truco para nossas respectivas avós”

“Eu sou gay e estamos casando de mentirinha. O fotógrafo negro lindo que é meu homem de verdade, moça”

“Não somos noivos. Isso é uma pegadinha do Silvio Santos. Olha a câmera ali”

Bem…enfim. Talvez a ponte receba muitos ensaios fotográficos de grifes de noiva. Vamos pensar que sim antes de chamar o Master of Obvious.

Olha ele aí

Vocês são noivos? Hein?

Ah, minutos antes da senhora fazer essa pergunta, houve um pequeno acidente que resultou na perda de duas pilhas recarregáveis. O flash se desprendeu do suporte, caiu, de um duplo twist carpado e as pilhas passaram entre os vãos da madeira da ponte, chegando ao rio e despedindo-se do papai Roniel para sempre.

Acidentes acontecem.  O amor acontece. Reencontros épicos acontecem. Perguntas sem nexo também.

Após o ensaio, fomos para o belo Restaurante Ca’di Mattone onde rolou a recepção. Teve música italiana, vinho italiano, comida de origem italiana e muita alegria e emoção afro-italiana.

Belo ristoranti

Tarde toda dez! Fiquem com algumas fotos que eu vou jogar Super Mario e comer um pedação de pizza porque eu também son de dio mio, manos e minas.

Abraços.

Felicidades ao casal, aos familiares e a todos envolvidos na festa.

Construída em 1883, a capela é encantadora

Glória Raimondi foi uma das responsáveis pelas belas músicas da cerimônia

Aquele momento que precede o casamento (e que alguns homens pensam em fugir para o Congo Belga)

Casal que não precisa de direção é guiado pelo coração

😛

Senhora Gianini Raimondi

Ê, Macarena! Hey! Só de olhar essa foto eu caio na risada

Yoga time

???

Ao lado de um homem grande numa grande foto, sempre há uma grande mulher numa imagem feita com uma lente grande angular

Assim eu me sinto quando o fotógrafo diz que estou liberado pra curtir o meu casamento

Um beijo intenso

Anúncios

Autor: ronielfelipe

Jornalista e Fotógrafo

8 pensamentos sobre “Everbody mama mia

  1. AMEI, Ro! Parabéns pelo trabalho. =)

  2. Que demais! Mto fofa a igreja e a sensibilidade do fotógrafo nem se fala. Adorei. ps. fiquei procurando a Li perdida em alguma foto.

  3. Roniel, que trabalho genial! Fantastico!!! Stop, in the name of love! Rsrsrs

  4. vai curintia

  5. Conheço o casal ANNA e GUISEPPE são pessoas incriveis,uma familia linda.
    Só a força de um amor pela familia faz essas suas palavras cheias de valor humano serem reais.
    Felicidades aos noivos e que sigam o exemplo dos pais em todos os sentidos.
    Marcia Giuntini.(tia do Sergio casado com MIchelle)

  6. Uma noiva de sapato azul dançando descontraída Tarantela. Suas legendas foram belas. Parabéns! 😉

  7. Como sempre, fotos perfeitas e texto lindissimo!

  8. SIIMMMMMMM!! eu li Ângelo com o sotaque!! kkkkkkkkkkkkk
    Tudo perfeito novamente!!! bjokas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s