El Marronzito

Evolução sem gratidão é coisa de bobão

16 Comentários

Saudações, pessoal.

Cenas inesquecíveis como a clássica limpeza do salão antes do início da festa

Cá estamos em mais um post do El Marronzito. Diferentemente da maioria das postagens, o papo hoje é pessoal como um cotonete usado ou uma escova de dentes com as cerdas desgastadas (aquelas que ficam parecendo espanadores de pó de gente de baixa estatura). O papo de hoje é carreira.

Sempre me disseram que o tal trabalho dignifica, nos deixando mais doces a aprazíveis (mesmo sem ter um Camaro amarelo na garagem). Quando recomecei com a fotografia, lá nos idos de 2004, no mágico mundo acadêmico, eu não sabia onde essa paixão de contar histórias por meio de imagens iria me levar. Incrível como a vida da gente muda.

Antes de entrar para o curso de Jornalismo, comprei uma linda Genius D-211, uma máquina point-and-shoot que a cada clique fazia um barulho irritante. A sua resolução era sofrível, as cores lavadas, mas ainda assim a Gêninha era mil vezes melhor que a Tekpix. Meu professor de Fotojornalismo dizia que se tratava de uma máquina “mata-rato” (servia para fotografar e, eventualmente, ser atirada em algum camundongo que não fosse o Super Mouse, é claro).

Ah, como me diverti com ela. Pena que foi furtada. Que o Deus da fotografia a tenha.

Saudades

Em 2006, com o curso de Jornalismo chegando ao seu final (e eu cada vez mais divido entre escrever e fotografar), comprei minha primeira namorada DSLR. Foi com muito esforço e trabalho escravo no mundo da IBM, que consegui a grana para a Canon XTI. Rumei para São Paulo e, com ajuda de um grande brother, fui para o Xing Ling da Avenida Paulista comprar minha segunda câmera digital.

Desconfiado com a vendedora, a fotografei temendo um possível golpe (o gênio aqui tinha certeza que iria reconhecê-la em um galpão cheio de irmãs gêmeas siamesas que falam tlinta e tlês). Hoje confio super nos vendedores de lá. Se me chamarem pra dançar Gangman Style, eu vou.

Depois de um período de estudos e muita leitura, vieram os primeiros trampos, as primeiras publicações pequenas, as publicações de nível nacional, foto-reportagens, projetos sociais e um mundarel de coisas. Com as fotos, como não poderia deixar de ser, já que não vivo no mundo dos Telletubies, vieram muitas histórias de vida. Um zilhão delas compostas por gente de todo o tipo: teve Presidente do Brasil, homem mais rico do Brasil e gente que, mesmo fazendo muito pelo Brasil, continua invisível. Teve foto de empresário rico do Jardins, em São Paulo e foto de gente simples do Morro da Mineira, no Rio.

Com o tempo, também vieram novas máquinas, novas lentes e bons drink, mas meus cabelos e a voz continuaram os mesmos. Dentre tantas idas e vindas, acabei envolvido com o mundo da fotografia de casamentos.

“Sabecumé”, diria Chris, aquele meu primo preto que todo mundo odeia: um amigo está para casar e pede uma ajuda, outro que ta devendo três pensões alimentícias, arranja uma outra mulher e ainda pede o auxílio do fotógrafo amigo. E assim começa a história de fotografar casamentos, estudar, ler sobre o assunto e se envolver em projetos cada vez maiores, além de gastar o valor de um Ford Ka 99 em uma nova câmera. Tudo para fazer melhor. Culpa da tara e do amor pelo que se faz.

Entrando nesse mundo bacanudo, acabei conhecendo a WPJAWedding Photojournalist Association) que é a Associação dos Fotojornalistas de Casamento (sim, eu sou bom em inglês). Em suma, se trata de um tipo de clube de fotógrafos de casamento que baseiam seus trabalhos nas bases do fotojornalismo (que óbvio, Roniel). Sendo assim, o destaque vai pela criatividade, ângulos e fotos que fazem a gente ter vontade de casar mais vezes que o Fábio Jr. e a Gretchen.

A nova é que meu portifólio foi selecionado para entrar para essa turma seleta de profissionais.

“Então agora você ficou doce, doce, doce, Ronin?”

“Quer dizer então que você está entre os melhores do mundo em fotografia de casamento?”

“Você vai deixar de falar comigo porque agora é mais famoso que o Homem da Cobra?”

Perguntas que podem pairar na cabeça dos leitores desse blog. Eis as respostas.

R: Agora eu sou magro, magro, magro, magro. E continuo magro, magro, magro, magro.

R: Sei que tem muita gente boa na associação, mas melhor e pior são conceitos complicados. Tem gente que não tem como pagar um fotógrafo de lá, então o melhor é aquilo que você tem em mãos. Deem uma olhada nas fotos e podem tirar suas conclusões clicando aqui.

R: Sim. E também não dou autógrafos com caneta Bic com a tampa mordida.

Na real, o que vale é o reconhecimento de um trabalho. Simples assim. É a evolução do Pokémon chamado Fotografia. Entrar para a renomada WPJA só confirma que estou seguindo o caminho certo para um dia conquistar o mundo.

Mas, antes de tudo, preciso trabalhar muito. É uma nova conquista poder participar de concursos com as grandes feras do fotojornalismo de casamento.

No fim, a gente troca de cueca, marca de pasta de dente, videogame e até migra do formato de sensor da câmera, mas ainda somos o que somos. Por isso, fiz esse post para demonstrar minha gratidão a quem acredita no meu trabalho e não faz cara de bunda quando digo que ele custa algumas Dilma$.

Para vocês, sempre haverá o melhor de mim.

Até eu dominar o mundo, é claro. Muito obrigado a quem acompanha meu trabalho.

Beijos

Roniel Felipe, o mano do cabelo duro da AWPJA.

Agradecimentos especiais ao Marino Pietro, baita fotógrafo de casamento e à Priscila Banqueri, por me trazer minha nova namorada.

Eis algumas fotos dessa história de contar histórias de amor:

Ana, a noivo de um dos casamentos mais fantásticos que já presenciei

Pouca gente sabe, mas o chorão é meu irmão Daniel

E como casei as amigas. Na foto, a senhora Flora

Casamento que fui como terceiro fotógrafo. Rendeu uma bela imagem da Karina, esposa do Paulo

Aqui é trabalho e a gente fotografa qualquer tipo de cerimônia e qualquer tipo de religião. Amor é amor e trabalho e trabalho

😛

E a gente também casa amigos de faculdade também. É sempre um prazer fazer parte da história de gente que sabe os nosso podres

Sustos acontecem. A gente também traumatiza crianças

Prometi não postar fotos de brigas e guerras homéricas pelo bouquet porque é deselegante

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Autor: ronielfelipe

Jornalista e Fotógrafo

16 pensamentos sobre “Evolução sem gratidão é coisa de bobão

  1. Fantástico como sempre!!!
    Meo!! sou muito suspeita pra comentar aqui!! Adoro seus textos, “seus retratos”, DE VC!! Gosto de tudo!!!
    É o que sempre digo (e sei que já disse e escrevi isso pra vc rsrsrs): “Quando é feito com amor, o resultado é somente um: SUCESSO!!!
    Parabéns “Mano do cabelo duro da AWPJA”. Vc merece!!! E muito mais!!!
    Ah!!! E a frase que veio a minha mente quando li a noticia foi: “CARALHO!!! QUE TUDO!! D+!!” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    bjokas

  2. AMEI, Ro! Suas fotos estão lindas e nem preciso comentar sobre o modo como escreve, né?! Sou fã! parabéns! Super beijo! Carol

  3. Parabéns Roniel!!!!!!Trabalhos lindos, gostei muito do texto. Você vai longe com esse dom maravilhoso, que Deus lhe deu. Adorei!!!!!!vou recomendá-lo como fotógrafo quando souber de casamentos e outros eventos. Bjs e muito sucesso . Lembre-se: “Sempre há ventos favoráveis para quem sabe aonde vai”.

    • Mais uma vez, obrigada por fazer parte de momentos maravilhosos como estes usando seu talento para guardar essas lembranças tão importantes. Parabéns por esse dom lindo que vc tem.. E tudo que vc recebe em troca nada mais é uma recompensa por tanto esforço e dedicação. vc merece o melhor. Beijos Keila e Gil

  4. Parabéns, Roni… Sensacional! Criativo e competente como sempre… Sucesso!!!

  5. Mágico Mágico, quantas experiências.
    parabéns e muito sucesso, vai longe meu amigo.

    abraço.

  6. Adorei… Parabéns, muito legal mesmo!!!!

  7. Parabéns pelos textos e fotos, vc vai longe.

  8. Puro arraso… as fotos, e o texto uma delícia de ler… Sucesso sempre!

  9. Parabéns Roni! Você merece! Sucesso sempre!
    Realmente, agora vc ficou doce, doce, doce………..kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Bjão!

  10. É maravilhosa a forma com que se expressa, não só pelas imagens mas pelas palavras. Surpreendente! Parabéns e sucesso!

  11. Parabéns Roni, admiro demais o seu trabalho. Sucesso !

  12. Puxa, fiquei emocionada!
    Mas não somente porque você está conquistando seu espaço e está ficando chic (rsrs) mas também porque te conheço, sei do seu caráter, sei dos seus valores e do coração gigante e generoso que vc tem! Acho que conheço uma pequena parte de sua história que me permite dizer: vc é um grande homem, um veinho guerreiro que nunca desistiu de sonhar, ainda que seus sonhos parecessem grandes e ambiciosos demais pra um pobre menino que precisava de bolsa pra cursar sua faculdade.
    Talento é talento e não há dinheiro que o possa comprar… Deus é o doador dos dons e a cada um de nós ele destina o que melhor será aproveitado pra essa vida que é tão passageira.

    To feliz! obrigada por compartilhar comigo sua felicidade!

    bjusssssssssss meu veinho!

  13. ahaaaaaaaaaaa…parabéns…pq é q naum tô surpresa??!!

  14. Parabéns Manolo!!!

    O primeiro passo foi dado a estrada é longa mas olhando td q vc já percorreu pra chegar aqui, fica facil saber q vc ira tirar de letra cada obstaculo que aparecer, tamu juntão é isso ai Keep Walking

    Héctor Mauricio

    PS liga nóis qdo chegar no topo do Empire State Building

  15. muito legal!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s