El Marronzito

O mundo é um ovo de dinossauro de Itú

20 Comentários

Eu, em 2000 e alguma coisa (foto de Bruno Silva)

O ano, 2003.

O cenário, uma feira do troca-troca. Bem, se sua mente suja pensou em sexo, errou, caro leitor fã da Rita Cadillac e que lamenta o fim das “Brasileirinhas”.

O cenário era uma feira onde pessoas trocavam de tudo. Desde vinis do Amado Batista até álbuns de figurinhas da Copa de 90. “Feira do Rolo” era o nome dado ao escambo livre, que acontecia nas manhãs de sábado e domingo, fronte ao Teatro Castro Mendes, na Vila Industrial. A cidade, Campinas, terra de machos.

Ali, em uma manhã de domingo, estava um menino magro de dar dó e careca como como vocalistas pagodeiros dos anos 90. Também estava ali, acompanhada do pai, uma menina de olhos esticados como oriental, de fala doce. Moça bem educada.

Os dois tinham algo em comum. Eles não estavam lá para trocarem nada, mas sim fazerem reportagens para o curso de Jornalismo da PUCC (Puta Universidade Cara de Campinas, segundo os endividados). Jornalista bacana quando vê outro jornalista bacana, mal bate o olho no sujeito e já sai falando pelas ventas.

Feira do rolo: um bom lugar para fazer amigos e ainda descolar um Atari 2600

A menina de beleza sútil e o menino magrelo bateram um papo. Após descobrir que ele também pensava em ganhar o Pulitzer, o Oscar do Jornalismo, a menina entrou em pânico. Sua pauta poderia cair diante aquele intruso. “Você não veio fazer matéria para o Jornal da PUC, né?”, questionou a moça, temendo ter caído do cavalo.

O menino marrom respondeu: “Não. É uma matéria para uma disciplina do primeiro ano”. Imbróglio resolvido. Ambos carregavam máquinas fotográficas. Ela, uma máquina manual bacanuda. Ele, uma Genius G-Shot, que além de ser pior que uma Tekpix, ainda emitia um som irritante a cada clique.

Eles voltaram a se encontrar novamente nos corredores da PUC. Papos rápidos no laboratório de informática e na redação modelo, repleta de pseudo-modelos, celebridades e aspirantes a uma vaguinha no BBB. Seus caminhos se cruzaram por mais algumas vezes. O menino marrom da máquina digital irritante soube que menina do olho esticado da máquina manual era uma fera do Jornalismo. Era só falar que a conhecia, e as pessoas desmanchavam-se em elogios.

A vida de ambos tomou rumos diferentes. Ela virou demógrafa. Ele virou um tipo de faz tudo da comunicação. A descoberta das metamorfoses se deu via internet, onde encontramos aquelas pessoas bacanas que não vemos há muito. Na Zuckerbeguelândia, se encontraram e trocaram algumas mensagens.

E, após oito longos anos, eles se encontraram frente a frente. Só que desta vez,  o menino tinha uma câmera bacana nas mãos e muito, muito mais cabelo. Ela, tinha um sorriso lindo, olhos brilhantes, a alegria dos familiares e amigos e não desgrudava de um sujeito boa pinta.

Olha aí a foto que fiz pra matéria de 2003. Reparem na qualidade das cores da minha saudosa Genius

O cenário do reencontro também tinha vinis, mas esses faziam parte da decoração das mesas. O tal reencontro se deu em um clube da pacata Avaré, cidade do interior de São Paulo.

Lá, a menina Ana Carolina Berto se casou e deu um novo passo em sua vida, agora ao lado de Caio Felipe, seu marido bom de cozinha. O cara é mestre cuca, chef, rei da cozinha.

Lá, o menino marrom fotografou, sorriu, se divertiu e, de certa forma, se emocionou ao ver como o mundo da voltas malucas.E assim a vida segue, cheia de surpresas deliciosas que mostram que o mundo é um grande ovo de dinossauro de Itú.

Não sei dizer se as coisas acontecem por acontecer, se é destino ou se Deus joga xadrez com os peões humanos que não podem ver uma popozuda passando diante à obra. Só sei que essas deliciosas coincidências me deixam com um sorrisão. Que elas repitam muitas e muitas vezes, afinal, é muito bom fazer parte da história das pessoas.

Parabéns pra Carol, pela pessoa esforçada e bacana que sempre foi. E por se casar com um homem que sabe fazer croissant.

Parabéns pro Caio, que terá ao seu lado um ser humano encantador.

Parabéns pra Ligia, colega de profissão que conheci no dia da festa e que foi xavecada por um senhor de 94 anos.

Ah…parabéns pro senhorzinho que mostrou que nunca é tarde para o amor.

Olha o Casal Santander aí

Caipirinha de Kiwi, essa eu quase bebi

Se seu noivo não dá essa risada maléfica ao casar, duvide de seu amor

Olha a demógrafa chorona

Ícone do coração aqui

Melhor foto do dia. Foi pra relação das fotos do ano

O chef mostrando como se prova um bolo

Enquanto as noivas jogam bouquets, sapos e miniaturas de santos, os homens agora jogam homens para que outros homens os peguem. Juro

"Olha aqui. Você cuida bem do meu neto, senão..."

Enquanto isso

😉

Amar é em Avaré

Anúncios

Autor: ronielfelipe

Jornalista e Fotógrafo

20 pensamentos sobre “O mundo é um ovo de dinossauro de Itú

  1. O fotógrafo perfeito pra captar a alma doce e delicada da Carol! Parabéns pelas fotos lindas! E parabéns para o casal tão lindo quanto as suas fotos, Roni!

    Beijo

    (Ps. A foto que foi pra “fotos do ano” está lindimais)

  2. Roni, que história linda!!
    Até eu que nem conheço me emocionei junto, e ri bastante com seus comentários!
    Siga assim que várias outras pessoas passarão pela sua vida e deixarão lembranças boas
    Beijos!

  3. essa da vovo…realmente é show!!!
    Dos pes, tambem…só faltou o macarrão…rsss

  4. bom! muito bom esse trampo, mano!
    vc escreve bem pacas 😀

  5. Ronie..
    Parabéns!
    Belíssimo trabalho!
    Kiss,
    Ana

  6. Adorei! Simplesmente sensacional!! O Caio até se emocionou lendo a história. Beijos! 🙂

  7. Mais uma vez me apaixonei pelas fotos!!!! E a história então, maravilhosa!!!!

  8. Ahhhhh, vou chover no molhado: texto ótimo, história linda e fotos maravilhosas.
    Só falta o noivo para eu te contratar!
    😛
    Bjoks

  9. caramba, que lindo isso! me emocionei com essa historia. a foto no ano diz tantoo! e todas as outras trazem mto sentimento. Que o ano novo chegue cheio de boas supresas pra todos nos 🙂 beeijo

  10. Lindo! as fotos, o texto e a sua sensibilidade!
    Bexos

  11. Primoroso, como sempre né???
    Beijos

  12. Lindas!! Fotos, noiva, vovó!!! E concordo plenamente na “foto q foi pra relação Fotos do Ano”! heheheh
    Só falta eu tomar coragem pra “casar de novo”! hehehehe Pois fotografo já tenho!! hehehehe
    bjo bjos

  13. Zuckerbeguelândia to tentando pronuncia até agora.. sacanagem kkkkkkk
    vo te fala o qe??? seus comentaários sao os melhores meu paicinho de chinelas

  14. Roni parabéns, a cada trabalho seu me torno ainda mais sua fã… bjos

  15. toda fã nº1 qe se preza tem que propagar o idolo ^^

  16. Parabens pelas lindas fotos!!

  17. Heeeeey.. ADOREI o texto! Muito bom mesmo. Msm pq sou suspeita. Adoro um destino/jogo de xadrez de Deus.. E quanto amor nas fotos hein?! É lindo e inspirador. Parabéns de verdade!!

  18. ai q tudoooo
    adorei migo
    obrigada por sempre partilhar comigo suas alegrias e experiencias!bjusss

  19. Que super lindos, tão feitos um para o outro. ❤ Como é bom se sentir feliz por saber que essa melhor amiga está em ótimas mãos. E que beleza de fotos, ahn?
    Sabe Deus como foi ter que me esconder no banheiro pra fugir desse ancião…
    🙂

  20. Roni, fazia tempo que não passava por aqui….e pelo visto tudo anda brilhantemente igual….
    Acredita que me emocionei com seu post?! Não vou crer na possibilidade de eu ser sentimentalista, mas certamente na qualidade do seu texto e das suas fotos. Não me canso se elogiar seu talento. Parabéns!!!

    Bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s