El Marronzito

Um turbilhão de coisas

4 Comentários

Cabra perigoso, mantenha a distância

Dentre tantas lógicas ilógicas que minha vida possui, uma delas tem relação especial com esse querido blog. Existem três motivos básicos para a maré seca das minhas postagens:

1-Estou sem trabalho nenhum e passando por um momento de vacas anoréxicas. Sem trampo  não tenho porque vir aqui postar sobre meus romances com as periguetes do último vagão do trem da Estação Francisco Morato ou dos gols que perdi no FIFA 11. O El Marronzito é um blog que se destina a falar da minha vida profissional. Se querem saber de fofocas sobre minha pessoa, vão no G1 ou compre a Tititica de Cachorro.

2-Estou trabalhando mais que aqueles bichinhos de pelúcia do comercial da Duracell. Passo por uma semana de trabalhos corridos, textos, fechamentos, viagens, motoristas malucos e altas gafes no Cometão (recentemente, dormi no ombro de uma moça enquanto voltava pra Campinas. Não contente, ainda fiz questão de derramar baba de Alien na coitada).

3-Fui preso, torturado e morto pela polícia que confudiu uma tele objetiva preta com uma Ak-47. Essas coisas acontecem. Negros sempre são suspeitos de algo.

Bem, se você escolheu a opção 2, acabou de ganhar 1,3% das ações do Banco Pan-Pan-Americano. Aí vai o resumo da ópera do malandro cafuzo:

Dia 08

A mulher do hotel

Sai para fotografar uma ‘mulher’ em um hotel. Assim que me foi passada a missão. Chegando ao local, a mulher era nada mais, nada menos Regina Herzlinger. Ok, sei que não ajudei em nada. Regina Herzlinger é uma simpática americana (nossa, Ronin, agora você esclareceu tudo). Bem, na verdade, a Rê (olha a intimidade) é professora de Administração e Negócios de uma faculdade boqueta chamada Harvard Business School (uma universidade só um pouco melhor que a Uniban da Geisy Arruda):

Regina Herzingler, uma simpatia de pessoa

Escritora do aclamado “Who Killed Health Care?”, um livro que mostra como é complicado e injusto o sistema de saúde americano (para quem viu e gostou de Sick-O, do bonachão Michael Moore, trata-se de um prato cheio), a professora deu um show de simpatia. Enquanto produzia seu retrato, dei de cara com Hans Donner. Ele ainda fala como a Dona Armênina (na Brasil, no casa, o mulata gostoso ) mas foi  bem gentil comigo (mal sabe ele que não exitei em clicar sua esposa, a Srta. Valéria Globeleza, a Valença).

 

"O mulata dessa até a chon"...Hans deu uma palestra super interessante e disse que o brasileiro deve amar mais seu país. Concordo

Dia 11

Exame Fórum de Sustentabilidade/Prêmio Exame de Sustentabilidade

Pelo segundo ano consecutivo, participei da cobertura jornalística dos eventos no qual a palavrinha sustentabilidade é repetida zilhões de vezes para o bem do planeta. Fiquei todo pimpão ao saber que iria fotografar e conhecer a senadora Marina Silva. No entanto, levei um caldo ao surfar na onda verde e a estrela do PV, por motivos de saúde, não pode comparecer ao evento. Ricardo Young representou muito bem:

Marina não foi, mas Ricardo Young traçou as metas para aliviar as coisas boas que ainda existem por aqui

O prêmio destinado às empresas que não jogam lixo na Marginal Tietê e fazem o mundo menos Eca

Dia 12

Aula de Strobist

Ao lado de alguns amigos fotógrafos, brincamos de desvendar e fazer testes de Strobist. Nos reunimos na casa da Adriana Castro, em Sampa. Faltou energia elétrica, mas não faltou disposição, fotos hilárias e uma boa troca de experiências com os amigos Chubi Capetão e Lee Daniels, o Cheira Alho.

PS: Aguardo as fotos, pessoal. Obrigado.

Dia 13

Wedding

Mais um casamento pra galeria do Ronin. Ao lado da minha não tão fiel escudeira Anna Assis, fui pra Sumaré (vai a pé, pra Sumaré, ow) fotografar um casamento de Éderson e Elaine. No fim da festa, enchemos o pandú de “cokrétis” e guloseimas. Fotógrafos fominhas, sim senhor:

Dama honrada e o lustres ilustrem que ilustram a foto que ilustra o meu ilustre blog

Várias bençãos (sim, eu sei usar o plural, às vezes)

Bem.

Por enquanto é só isso. Se eu sumir novamente, é porque estou conseguindo conquistar alguns dinheiros da Dilma pra pagar o sofá que dei pra Dona Marlenne ou entrei pra estatísticas dos meninos marrons batalhadores que são confundidos com terroristas xiitas.

 

Abraços.

Anúncios

Autor: ronielfelipe

Jornalista e Fotógrafo

4 pensamentos sobre “Um turbilhão de coisas

  1. Adoro ler seus post!!!!

  2. Pô 10 Dilmas pra entregar o Ronin ? Nahhhhh

  3. Ha ha ha as fotos estão impublicáveis. rsrs
    Pelo menos no dia que faltou energia elétrica na minha casa, não faltou flashes em várias potências e cores! =)
    Vou ver se alguma coisa se salva aqui nas minhas!(ainda não tive nem tempo de ver direito).
    Beijo

  4. Amore, vc vale muito mais do que 10 Dilmas, viu?
    Trabalhos impecáveis, como sempre! Orgulho desse irmão, viu?
    Amo-te!
    Beijos
    Camys

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s