El Marronzito

Vuzuzele daí, que eu steelizo daqui

7 Comentários

Eu sei.

Já faz alguns dias que não apareço por aqui. Não vou dar desculpas esfarrapadas como o marido que é pêgo pela esposa dando uns amassos na empregada periguete e  originalmente diz “Não é o que você está pensando, amor”. Aliás, todo mundo tem mais o que fazer do que ficar esperando meu posts. Em dias de Copa do Mundo, com o Dunga mandando às favas aqueles que vuvuzelam em seu ouvido, eu estive trabalhando com sonoridades também. A história da vez foi a produção de textos e fotografias para o livro portifólio da Orquestra de Tambores de Aço da Casa de Cultura Tainã.

Antes que me perguntem o que diabos é uma orquestra de tambores de aço, eu, do alto dos meus 1.78cm de puro osso, explico: uma orquestra de tambores de aço é uma orquestra de tambores de aço.

Simples.

Os tambores de aço, conhecidos lá fora como steel drum ou steel pan, são instrumentos musicais de origem afro-caribenha. Na Segunda Guerra Mundial, os americanos que viviam em bases navais em arquipélagos caribenhos, tinham um péssimo hábito  (comum nos brasileiros de hoje)..viviam jogando latas por ai.

Enquanto brasileiros jogam latinhas pelas ruas (craqueiros e trabalhadores de rua agradecem a preferência) os ianques com sua mania de grandeza, deixavam os barris de óleo largados pelas ilhas.

Os manos de Trinidad e Tobago, que sofriam com a colonização inglesa e todo aquele papo de chá das cinco,  descobriram que se manipulados manualmente, o fundo dos tambores de aço emitiam notas musicais.

Pronto! Com o conhecimento da escala pentatônica, os caribenhos (que não são aqueles de Jamaica Abaixo de Zero) desenvolveram os instrumentos a ponto de torná-los uma arma de resistência cultural contra os metódicos ingleses.

Enfim…Em 1978, uma orquestra de steel da Guiana Inglesa veio pra São Paulo se apresentar. Inocentes, os músicos foram iludidos por um empresário que ficou com toda sua grana. TC, líder da casa de Cultura Tainã deu uma força para os caras, e assim teve início a história da primeira orquestra de tambores de aço do nosso Brasil.

A galera da Guiana Inglesa que levou balão. Empresários amigos do Maluf agradecem a preferência

Vou parar por aqui, pois já vuvuzelei demais. Quem quiser saber mais, que vá conhecer a Tainã ou estude sobre o assunto.

Eis as fotos da galera da Tainã:

Bia Xavier tocando alto o seu baixo

Ramon e o tenor

Ayo Shani e o cello (leia-se tiélo)

A doce Layla e seu tenor

Apelidado de Pai Naná devido a roupa branca, eis o baterista Naná

'Deixei de ser negro apenas na pele', diz João Pedro sobre o que mudou sua vida após entrar pra orquestra

A capa do livro, produzida com o auxílio de snoot, uma lâmpada de celular tabajara e a ajuda da Bia Xavier

Para fechar, eis um vídeo da Orquestra da Tainã tocando ao lado do então Ministro da Cultura e rei dos gritinhos da mpb, Gilberto Gil.

Anúncios

Autor: ronielfelipe

Jornalista e Fotógrafo

7 pensamentos sobre “Vuzuzele daí, que eu steelizo daqui

  1. beeelas fotos guri! parabéns!

  2. você escreve muito bem!!! 🙂

  3. É muito legal saber de outros tipos de orquestras!!

    E adorei a parte da latinha (craqueiros e trabalhadores de rua agradecem a preferência), que infelizmente é a mais pura verdade!

    As fotos ficaram realmente lindas!!

    Bjs

  4. lindas fotos! ótima matéria ronin!

  5. “rei dos gritinhos da mpb” foi a melhor …rs!

  6. Belo artigo e belas fotos! Post realmente interessante. Me pediu para ler dois dias atrás e só tive tempo hoje, mas seeempre paaso por aqui. Beijããão =)

  7. Eu assisti à apresentação da Guiana Steel, em Brasíllia-DF, em 1978. Foi na Escola de Música de Brasília. Belíssima apresentação. Som maravilhoso. Maestro supercomunicativo. Hino Nacional Brasileiro abriu a apresentação e toda a platéia emocionou-se. Eu nunca tinha ouvido som igual. Lindo! Diferente! Único! Casa de Cultura Tainã, parabéns pelos belíssimo som e brilhante iniciativa da Orquestra de Tambores de Aço. Quando é que virão tocar em Ribeirão Preto? Em maio/junho-2012 teremos a Feira do Livro. Que tal comparecerem e aparecerem?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s